Curiosidades sobre Amnésia

22/07/2014
  • Durante a fala de Teddy “You don’t have a clue, you freak!”, o diretor Christopher Nolan achou que Joe Pantoliano, que interpretou Teddy, não finalizou muito bem a fala, então ele decidiu regravar, ele mesmo, as duas últimas palavras a seu gosto. Assim, no final do filme, as palavras “you freak”, como as ouvimos, não são, na verdade, ditas por Pantoliano, mas por Nolan imitando a voz de Pantoliano. Pantoliano não sabia da dublagem até uma entrevista para o programa Anatomy of a Scene (2001).
  • Cronologia: Quando numeramos as cenas cronologicamente, e então as ordenamos como elas aparecem no filme, o padrão torna-se mais claro. As letras A-V representarão as cenas coloridas (com A acontecendo cronologicamente primeiro, e V cronologicamente por último), e os números 1-22 representarão as cenas em preto e branco cronologicamente. As cenas aparecem no filme assim: 1, V, 2, U, 3, T, 4, S, 5, R, 6, Q… 20, C, 21, B, 22/A. Os dois tipos de cenas se alternam. As cenas em preto e branco (números) se iniciam pelo número 1 e vão em frente até o clímax em 22/A, enquanto as cenas coloridas (letras) vão de trás pra frente em direção ao clímax em 22/A. A cena do clímax (22/A) muda de cor na metade, mostrando a convergência das duas histórias.
  • A doença vivenciada por Leonard no filme é uma doença real chamada Amnésia Anterógrada – a inabilidade de formar novas memórias depois de um dano no hipocampo. Nos anos 1950, os médicos tratavam algumas formas de epilepsia removendo partes do lobo temporal, resultando nos mesmos problemas de memória.
  • Stephen Tobolowsky afirmou que, durante sua audição para Sammy, ele havia mencionado ao diretor Christopher Nolan que ele pessoalmente havia experienciado amnésia. Alguns anos antes, deram a ele um analgésico para induzir amnésia para uma cirurgia pela qual passou. Tobolowsky disse que isso pode tê-lo ajudado a conseguir o papel porque provavelmente nenhum outro ator havia tido sua experiência única.
  • Ainda que a cena de abertura seja mostrada literalmente de trás pra frente, todo efeito sonoro é tocado, na verdade, normalmente. O único som tocado de trás pra frente é o grito de Teddy, “No!”
  • O Honda Civic branco de Christopher Nolan pode ser visto estacionado perto do Jaguar de Leonard Shelby no motel.
  • O roteiro de Christopher Nolan é baseado no conto de seu irmão Jonathan Nolan, “Memento Mori”. Mas o roteiro é ainda assim considerado original (ao invés de adaptado) porque o conto de Jonathan não foi publicado antes de o filme ter sido finalizado.
  • “Paranoid Android”, da banda Radiohead, seria usada originalmente nos créditos finais, mas Christopher Nolan achou que os royalties necessários para usar a canção (pertencentes à Capitol Records) seriam muito altos para o filme de baixo orçamento.
  • A câmera que Leonard Shelby usa é uma Polaroid 690.
  • A primeira escolha de Christopher Nolan para o papel de Leonard foi Alec Baldwin.

Fonte: IMDb

 

memento-22

Anúncios

Curiosidades sobre O Castelo de Cagliostro

30/08/2010

– O barco usado pelo Conde é baseado num “turbinia”, o primeiro barco a vapor com turbina a vapor do mundo.

– No livro de Maurice Leblanc, “A Condessa de Cagliostro” (1924), Clarisse era o nome da esposa de Arséne Lupin.

– “O Castelo de Cagliostro” foi o primeiro anime a ser exibido no Festival de Cannes, embora não em uma categoria competitiva.

– Esse foi o primeiro longa dirigido por Hayao Miyazaki. Inicialmente, o filme seria dirigido por Yasuo Otsuka, e seria uma adaptação de Lupin III (filme lançado em 1977). Um rascunho do roteiro foi entregue pelo escritor da série Seijun Suzuki, e continha uma gama de elementos da série. Otsuka não gostou do rascunho, e pediu a Miyazaki para tomar conta disso. Miyazaki mudou completamente o rumo do roteiro, apresentando um enredo original.

– Como o filme teve um tempo de produção muito curto (apenas quatro meses), Hayao Miyazaki afirma ter alterado o roteiro na pós-produção para que o filme ficasse pronto na data de lançamento. Ele nunca revelou qual era sua ideia original de roteiro.

– Os carros dirigidos pelos personagens são baseados em veículos reais:
* O carro de Lupin é um Fiat 500 italiano de 1969, que o diretor de animação Yasuo Otsuka já possuiu
* O carro de Clarisse é um Citroen 2CV francês, que Hayao Miyazaki conta ser o primeiro carro que ele já teve
* Os homens perseguindo Clarisse estavam dirigindo um “Humber Super Snipe” britânico, de 1940
* O carro de Zenigata é um Nissan Bluebird japonês
* Os homens de Zenigata dirigem um caminhão militar canadense da GM, de 1943

– Steven Spielberg diz que “O Castelo de Cagliostro” é um dos melhores filmes de aventura de todos os tempos.

Fonte: IMDb


Curiosidades sobre Valsa com Bashir

17/05/2010
  • Valsa com Bashir foi o primeiro filme de animação indicado para Melhor Filme Estrangeiro na história do Oscar.
  • Ao contrário do que se pode imaginar, não há nenhum trabalho de rotoscopia neste filme. A equipe de produção realmente utilizou câmeras de vídeo para capturar imagens (live action footage), mas as gravações foram usadas apenas como referência para os storyboards do filme. Os storyboards foram então redesenhados digitalmente, e os desenhos foram animados em Flash.
  • David Polonsky (diretor de arte de Valsa com Bashir) é destro, mas fez a maior parte das ilustrações para o filme com a mão esquerda, pois ele sentiu que seu traço original era muito bonito.

Fonte: IMDb


Curiosidades sobre As Bicicletas de Belleville

17/04/2010

  • No bônus do DVD do filme, o diretor Sylvain Chomet indica que, para compor as trigêmes, ele tentou imitar a postura e o andar de estrelas do basquete.
  • O filme não tem diálogos, e embora haja algumas palavras faladas, elas são acidentais.
  • A canção tocada por Madame Souza no piano é “Uma Casa Portuguesa”, e foi originalmente tocada por Amália Rodrigues, a rainha do fado.
  • No começo do filme, aparece uma equação bem embaixo da tela. São as Equações de Campo de Einstein, que representam o efeito gravitacional produzido por uma determinada massa.
  • Pode ser visto no apartamento das trigêmeas um pôster enquadrado do curta de animação de Winsor McCay “Gertie, the dinosaur”, de 1914.

    caricatura de Josephine Baker

  • Há uma caricatura animada da dançarina/cantora/performer Josephine Baker, uma artista negra americana que deixou os EUA nos anos 1920 por causa de um racismo virulento com que ela se deparou e virou uma grande estrela na Europa. Ela era muito famosa em Paris e frequentemente aparecia semi-nua em shows, como ela aparece no filme.
  • No começo do filme, a pianista Madame Souza e o jovem Champion assistem na televisão a uma caricatura do famoso canadense virtuose Glenn Gould, conhecido por suas interpretações dos trabalhos para instrumentos de teclas de Johann Sebastian Bach e pelo fato de que ele costuma cantar de boca fechada/zumbir enquanto toca piano (o que pode ser ouvido no filme).
  • O líder do Tour de France vestido com malha amarela representado no filme é uma caricatura de Jacques Anquetil, campeão por cinco vezes do tour. Parece que o ano é 1957, ano da primeira vitória de Anquetil e única edição, que ele participou, em que a etapa final foi realizada em Marseilles.

    olha aí o cocô no formato de Mickey!

  • Juntamente com riffs anti-Disney no filme, está um cocô em formato de Mickey em um banheiro pelo qual passam Madame Souza e o cachorro Bruno.
  • São visíveis no apartamento das trigêmeas algumas fotos delas com estrelas da época, como Charles Chaplin. Também há uma foto das trigêmeas na praia com Olive Oyl.
  • Também aparece, no início da parte em preto e branco do filme, o cantor francês Charles Trenet (1913-2001), com seus olhos bem abertos, como ele costumava fazer quando atuava em cabarés.
  • Pode ser visto no apartamento das trigêmeas um pôster enquadrado de “As Férias do Senhor Hulot”, de 1953, de Jacques Tati. Esta não é a única citação a este diretor em As Bicicletas de Belleville. Há também uma cena em que as irmãs aparecem assistindo a um outro filme de Tati, “Carrossel da esperança” (Jour de fête), de 1949.

    graaande Django!

  • Uma caricatura de Django Reinhardt tocando violão pode ser vista na parte em preto e branco de As Bicicletas de Belleville. A trilha sonora do filme parece bastante influenciada pela música de Django (que gravou uma canção chamada “Belleville”, com Stéphane Grappelli).

Fonte: IMDb


Curiosidades sobre O Estranho Mundo de Jack

28/03/2010

Você sabia?

  • Tim Burton diz que a inspiração para a história/poema em que O Estranho Mundo de Jack é baseado surgiu depois que ele viu uma loja substituir a decoração de compras de Halloween pela de Natal. A troca de fantasmas e demônios por Papai Noel e sua renas mexeram com a imaginação do cineasta.
  • Na história original de Tim Burton, nenhum personagem aparece além de Jack, Zero e Papai Noel.
  • Na versão alemã de O Estranho Mundo de Jack, a personagem Sally foi dublada pela cantora punk Nina Hagen.
  • O personagem Behemoth (dublado por Randy Crenshaw) foi criado com base no ator de “filmes-B” Tor Johnson.
  • Um dos versos da canção “This is Halloween” diz: “… tender lumplings everywhere…”. Trata-se de uma referência à música “Tender Lumplings”, que o compositor Danny Elfman escreveu quando ainda fazia parte da banda Oingo-Boingo.
  • A decisão de não mostrar os rostos dos personagens adultos é uma homenagem aos desenhos animados de Charlie Brown.
  • A primeira aparição de Jack no cinema foi em Os Fantasmas Se Divertem. Note no topo do carrossel de Beetlejuice, próximo ao final do filme, quando o fantasma sai do chão depois de ser chamado por Lydia.
  • O gato que pula na lata de lixo, logo no começo do filme, é o mesmo gato que aparece no curta de animação Vincent, dirigido por Tim Burton em 1982.
  • A cobra vista no filme também aparece em Os Fantasmas Se Divertem.
  • Durante a canção “Jack’s Lament”, Jack passa entre duas lápides. A da esquerda é uma reprodução da pintura “O Grito”, enquanto a da direita é o cavalo do quadro “Guernica”, de Picasso.
  • Para facilitar a filmagem, a equipe criou duas estratégias: uma luz de alarme que avisava aos animadores se alguma das luzes do cenário não estivesse acesa; e um sistema que possibilitava um boneco ser substituído por outro caso ele quebrasse durante a gravação de uma cena.

Fonte: IMDb


%d blogueiros gostam disto: