Melancolia e música pop

24/05/2009

Uma questão:

Se ouve música pop porque se está infeliz? Ou se está infeliz porque se ouve música pop?

“Algumas das minhas canções favoritas: ‘Only Love Can Break Your Heart’, de Neil Young; ‘Last Night I Dreamt That Somebody Loved Me’, dos Smiths; ‘Call Me’, com Aretha Franklin; ‘I Don’t Want To Talk About It’, com qualquer um. E há também ‘Love Hurts’ e ‘When Love Breaks Down’ e ‘How Can You Mend A Broken Heart’ e ‘The Speed Of The Sound Of The Loneliness’ e ‘She’s gone’ e ‘I Just Don’t Know What To Do With Myself’ e… algumas destas canções eu ouvi cerca de uma vez por semana, em média (trezentas vezes no primeiro mês, e de vez em quando depois disso), desde os dezesseis ou dezenove ou vinte e um anos de idade. Como é que isso pode não deixar você magoado de alguma forma? Como é que isso pode não transformá-lo no tipo de pessoa passível de se quebrar em pedacinhos quando seu primeiro amor dá todo errado? O que veio primeiro, a música ou a dor? Eu ouvia a música porque estava infeliz? Ou estava infeliz porque ouvia a música? Esses discos todos transformam você numa pessoa melancólica?

As pessoas se preocupam com o fato de as crianças brincarem com armas e de os adolescentes assistirem a vídeos violentos; temos medo de que assimilem um certo tipo de culto à violência. Ninguém se preocupa com o fato de as crianças ouvirem milhares – literalmente milhares – de canções sobre amores perdidos e rejeição e dor e infelicidade e perda. As pessoas afetivamente mais infelizes que conheço são as que mais gostam de música pop; e não sei se foi a música pop que causou tal infelicidade, mas sei que elas vêm ouvindo as canções tristes há mais tempo do que vêm vivendo suas vidas infelizes.”

Trecho do livro Alta Fidelidade, de Nick Hornby


A última lista, afinal

22/05/2009

“Cinco melhores discos de todos os tempos

1) ‘Let’s get it on’, de Marvin Gaye
2) “This is the house that Jack built’, Aretha Franklin
3) ‘Back in the USA’, Chuck Berry
4) ‘White man in the Hammersmith Palais’, do Clash
5) ‘So tired of being alone’, de Al Green”


Meus cinco empregos ideais

22/05/2009


1) Jornalista do NME, 1976-1979

Para conhecer o Clash, Sex Pistols, Chrissie Hynde, Danny Baker etc. Para ganhar uma porrada de discos grátis – e bons, também.
Para mais tarde apresentar o meu próprio programa de auditório ou algo assim.

2) Produtor, Atlantic Records, 1964-1971 (aproximadamente)
Para conhecer Aretha, Wilson Pickett, Solomon Burke etc.
Para ganhar uma porrada de discos grátis (provavelmente) – e bons, também. Para ganhar rios de dinheiro.

3) Músico de qualquer tipo (com exceção de clássico ou de rap)
Fala por si. Mas eu já aceitaria ser um dos Memphis Horns – não estou pedindo para ser Hendrix nem Jagger nem Otis Redding.

4) Diretor de cinema
Mais uma vez, de qualquer tipo, embora preferivelmente nem de cinema alemão nem de cinema mudo.

5) Arquiteto
Sei que é uma surpresa este número 5, mas é que eu era bastante bom em desenho técnico na escola.”


Cinco mulheres que não moram na minha área, até onde sei, mas que seriam muito bem-vindas se algum dia decidissem aparecer no pedaço:

22/05/2009

“A Holly Hunter de Nos bastidores da notícia; a Meg Ryan de Sintonia do amor; uma médica que vi na tevê uma vez, com um cabelão comprido, frisado, e que arrasou com um deputado conservador num debate sobre embriões, embora eu não saiba o nome dela e nunca tenha conseguido achar um poster seu; a Katharine Hepburn de Núpcias de escândalos; Valerie Harper do seriado de TV Rhoda.”


Cinco primeiros grupos ou músicos que terão que ser fuzilados quando a revolução musical chegar

21/05/2009


1) Simple Minds
2) Michael Bolton
3) U2
4) Bryan Adams
5) Genesis”


Cinco melhores lado um-faixa um de todos os tempos

21/05/2009


1) ‘Janie Jones’, do Clash, de The Clash
2) ‘Thunder Road’, Bruce Springsteen, de Born To Run
3) ‘Smells Like Teen Spirit’, Nirvana, de Nevermind
4) ‘Let’s Get It On’, Marvin Gaye, de Let’s Get It On
5) ‘Return Of The Grievous Angel’, Gram Parsons, de Grievous Angel


Cinco melhores episódios de Cheers de todos os tempos

20/05/2009


1) Aquele em que Cliff achou uma batata que parecia Richard Nixon
2) Aquele em que John Cleese ofereceu a Sam e Diane sessões de aconselhamento
3) Aquele em que eles pensaram que o Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas dos EUA – representado por um sujeito que na vida real é almirante – havia roubado os brincos de Rebecca
4) Aquele em que Sam arranjou um emprego de locutor esportivo na TV
5) Aquele em que Woody cantou a sua canção idiota sobre Kelly”


%d blogueiros gostam disto: