Close-Up (1991)

03/07/2011

Qual seu cineasta (artista) predileto? Você sabe muitas coisas sobre ele? Onde nasceu, cresceu, estudou, o que está rodando no momento, sua filmografia? Você conhece muitas particularidades da vida dele?

Agora, imagine se você fosse confundido com ele e, esta situação lhe trouxesse vantagens? O que você faria se o  confundissem com seu ídolo? Seria fácil dizer que não é ele e,sim uma pessoa comum, sem nenhum atributo, a não ser o fato de ser fã da mesma pessoa…

Bom, esta é a trama básica do filme experimental Close- up, do importante cineasta iraniano Abbas Kiarostami.

O filme documenta um crime: a prisão e o julgamento de um jovem, que engana uma família, se passando por seu ídolo, o diretor Mohsen Makhmalbaf.

Para que o filme fosse realizado são necessários alguns esforços, e é onde fica possível perceber toda a paixão que os iranianos tem pelo cinema. O cinema está para o povo iraniano, assim como a televisão está para os brasileiros. E juro que eu gostaria que fosse o contrário…

Quando levanto a questão da paixão pelo cinema, quero dizer que o filme Close-up somente existe por esta paixão dividida por todo um país. O longa só pôde ser realizado porque o criminoso Hossein Sabzian e a família lesada têm como ídolo o real cineasta Mohsen Makhmalbaf, porque Kiarostami também é cineasta e se interesa pelo fato acontecido e também porque o juiz do caso, Haj Agha também é admirador do cinema e permite que um equipe adentre seu tribunal com câmeras e aparatos cinematográficos.

Então temos em Close-up uma discussão que existe pelo e através do cinema. Temos o cinema unindo uma nação, temos um crime cometido em nome do cinema e temos um discussão real acontecendo nas telas fictícias do cinema. Temos um misto de documentário – no julgamento real – e de ficção – nas cenas roteirizadas.

Que situação encontramos ao classificar Close-up? Seria ele mais um documentário com pé na ficção ou seria uma ficção com um quê de documentário? Realmente a forma como o filme é construído deixa dúvidas até o último momento e, assim, sucitará discussões e pesquisas de seus expectadores. A história iraniana é real? São muitos “Ses” os provocados por
Kiarostami.

Abbas Kiarostami tem uma extensa lista de filmes dirigidos, roteirizados, produzidos, editados por ele. Falo isso porque pensei em citá-los aqui porém, são tantos que não caberiam neste pequeno papel. Mas, faço questão de deixar uma pequena lista para que vocês se deliciem com as produções deste povo tão distante e que ama tanto o cinema. Aqui alguns dos títulos dos filmes que mais se destacaram entre as produções de Kiarostami: E a Vida Continua (1991); Onde é a Casa do Meu Amigo? (1987); Gosto de Cereja (1997); O Vento nos Levará (1999); Através das Oliveiras (1994); Dez (2002); Copie Conforme (2010). No momento ele está em fase de pré-produção do filme The End.

*Graci Mello escreveu este texto. Trata-se do programa distribuído durante exibição de “Close-Up”, no dia 28 de junho de 2011.


%d blogueiros gostam disto: